Conquistar a liberdade de ser quem você é, é assumir também a responsabilidade de saber para onde quer seguir com o leme da sua vida. Pessoas que atingem esse nível de consciência possuem um autoconceito muito claro e autêntico.
Alcançam seus maiores sonhos e realizações,  partindo do olhar para si mesmo com muita franqueza e honestidade:

– Quem EU SOU para mim mesmo?
– Onde quero chegar?
– Eu tenho capacidade de chegar lá?

São as respostas que formam nosso autoconceito.

Idealizar quem você quer ser no futuro direciona e concentra todas as suas decisões e atitudes no dia-a-dia. Isso porque o eu ideal faz parte da construção do seu autoconceito. O eu ideal é pessoal, é o que eu mais quero ser no futuro. É uma idealização de si mesmo em plena satisfação, sucesso e realização.

Quanto melhor e mais nítida é a visão para onde quero chegar, quem eu quero me tornar, mais seguro será cada passo, cada decisão, cada escolha. Com uma forte imagem pessoal do meu eu ideal, o senso de urgência é claro, desenvolvo a automotivação, e tudo passa a fazer sentido.

Já a autoimagem, segunda camada do autoconceito, é tomar consciência de como estou para mim mesmo.

– Estou satisfeito?
– O que posso melhorar em meu comportamento, minhas atitudes (mentais, físicas, emocionais)?

Na autoimagem usamos o verbo  estar  porque nós apresentamos um estado, não é permanente, a autoimagem é mutável.

E finalmente, não adianta só sonhar com o ideal, nem melhorar o que não está bom. Para consolidar tudo isso preciso ter autoestima (estimar, amar a si mesmo). Porque só o amor cura, é a força universal  transformadora, só se desenvolve vontade, alegria e disposição suficiente para chegar lá, se eu amo quem EU SOU. A autoestima não se relaciona com comportamento ou estado transitório, mas de assumir, aceitar, permitir e agradecer pela essência de ser quem você é. Por isso o verbo é SER, a autoestima é enraizada no amor ao nosso SER DIVINO.

Vamos ter “altos conceitos” positivos e generosos sobre nossos ideais e sonhos, acreditar e ter fé de que cada um de nós tem o direito e o dever de sonhar, idealizar e realizar, pois quem escolhe a coragem de sonhar, abre portas para a humanidade crescer em direção aos seus valores mais genuínos. Nenhum grande sonho de verdade é baseado em egoísmo, ele sempre vem de um visionário que quis fazer a diferença no mundo, e para o mundo.

A Filosofia do Bem já é boa parte dos meus ideais e propósito de um mundo melhor.  E os seus, quais são?

Comente e deixe sua opinião! 🙂

Uma  feliz sexta-feira para você!
Gratidão!

Yumi Hada