Tem muita gente que já se acostumou a conviver com uma baguncinha básica na vida. Começando pela própria casa, onde guarda de tudo, tem um jeito peculiar de organizar, mas na hora que precisa alguma coisa de verdade, nunca sabe onde foi parar:

“Vou guardar, um dia vou precisar”,
“ Paguei tão caro por isso não vou me desfazer”
“Traz uma lembrança tão importante para mim”
“ Não está atrapalhando, deixa aí mesmo”… e por aí vai muita explicação afora.

Por natureza, o ser humano é extremamente adaptável. Seja qual for a situação, passado alguns meses – 3 meses em média – tanto neurologicamente como fisicamente nos adaptamos à essa nova exposição do ambiente. Ou seja, se a gente não arrumar e limpar a casa de vez em quando, nos acostumamos com a bagunça.

Imagina ficar mais de 3 meses sem varrer o quarto onde você dorme, limpar a cozinha em que você prepara suas refeições, ou lavar o seu banheiro? Bactérias, insetos e outros visitantes afins se tornariam seus hóspedes, provocando desconforto, mau humor e inclusive doenças. Afinal, sujeira e bagunça também tem lá seus seguidores.

Soa muito lógico e óbvio entender a importância da limpeza, organização e conforto quando falamos de nosso lar, nossa casa. Ter uma casa gostosa de se morar é um grande sonho e a maior conquista para muita gente. Muitas pessoas acreditam que a felicidade começa tendo uma casa bonita, confortável, aconchegante.

Mas é importante a gente lembrar da nossa primeira e primordial morada: nossa própria vida no corpo que recebemos hoje. Porque não importa quantos cômodos tenha a sua casa, o tamanho do luxo e requinte, se você não se sente bem com você mesmo. O bem-estar começa dentro da gente primeiro.

Além do corpo físico, temos outros corpos que apesar de não serem palpáveis, eles existem e são essenciais para que o corpo físico funcione em seu pleno desempenho:

  • Corpo Mental: nossa capacidade de raciocínio, discernimento, consciência, análise e memória. É a sala de comando onde construímos nossas crenças, os padrões de pensamento, o julgamento do bom e do mau.
  • Corpo Emocional: conjunto de emoções e sentimentos que carregamos e desenvolvemos ao longo de nossa vida, com tendências construtivas que nos inspiram a ser alguém cada vez melhor como o otimismo, alegria, esperança e amor, ou emoções destrutivas que deprimem e contraem nossa vida como o pessimismo, rancor, raiva, ansiedade, por exemplo.

Cada um de nós vive uma dança entre esses corpos com pensamentos, emoções e atitudes: o físico, mental e emocional trabalhando todos juntos ao mesmo tempo. São várias possibilidades:

  • pensar, agir e sentir;
  • agir, sentir e pensar;
  • sentir, pensar e agir;
  • agir, pensar e sentir;
  • pensar, sentir e agir;
  • sentir, agir e pensar;

ou

  • sentir, sentir e sentir;
  • pensar, pensar e pensar;
  • agir, agir e agir… etc

Na prática, pode acontecer de você responder para alguém com emoção, e depois perceber que não era o que estava pensando. Ou pensar tanto tempo na proposta de um emprego, e no final perder a oportunidade. Ou ficar apaixonado a vida inteira por alguém, e nunca ficar sabendo se essa pessoa correspondia aos seus sentimentos.

Em atletas, que dependem totalmente do corpo na sua carreira, precisam de uma atenção e concentração mental e emocional disciplinada. Frações de segundo definem anos de treinamento. Isso porque uma mente dispersa e uma emoção mal resolvida atrapalham o fluxo da vida, não trazem direcionamento. Não vivemos nossa plenitude.

Nós precisamos de todos os cuidados como a casa onde vivemos: liberar o que já não serve mais, jogar fora o que é lixo mesmo, organizar de um jeito que você se sinta bem, abrir espaço para receber mais amigos, enfim, nossos pensamentos, emoções e atitudes baseados em virtudes que nos fazem crescer, expandir por dentro.

Nutrir sentimentos depressivos abalam drasticamente o sistema defensor do nosso organismo, porque o corpo como um todo fica triste. Tanto é comprovada a importância da alegria e da esperança na recuperação física, que voluntários, projetos e ONGs em hospitais buscam desenvolver emoções positivas durante o tratamento clínico de seus pacientes. O corpo reage às nossas emoções.

A mente pode parecer às vezes um cavalo selvagem: tem muito potencial mas às vezes muito indisciplinado. Pensamentos diferentes correm a todo instante, mas que não levam a lugar algum. Dominar o potencial da mente, desenvolvendo padrões mentais edificantes de fortes valores de caráter, construindo uma personalidade de autoconfiança e pertencimento social faz com que a mente trabalhe a favor dos seus sentimentos e consciente do seu corpo físico. Quando corpo, mente e coração se alinham, tudo faz sentido.

Antes de adquirir o sonho da casa própria, adquira e se aproprie do seu lar primordial, seu templo sagrado que é a vida que recebeu em corpo. A paz de espírito, a harmonia, o aconchego e a alegria de viver não podem ser comprados: eles são conquistados. Não importa o lugar em que esteja, pode ser num hotel 6 estrelas de uma ilha paradisíaca, carregamos dentro da gente nossa mente e nosso coração. Consciência tranquila e coração em paz não depende de onde você está fisicamente.

Quando a gente acumula uma faxina que deveria ter sido feita há muito tempo, às vezes ela pode dar um pouco mais de trabalho do que para quem já tem o hábito de limpar com mais frequência. Mas se acostumar com a bagunça da casa não quer dizer que você pode aceitar ela como arrumada. O que é limpo é limpo, o que é desorganizado é desorganizado. Sabe como a gente distingue? Quando dá uma sensação gostosa de alívio, de relaxamento, até vontade de compartilhar com mais alguém.

Como toda faxina, a gente pode começar por aquilo que está mais fácil. Acordo mal-humorado? O que posso fazer para desenvolver o hábito de começar o dia mais alegre? Isso ajuda o bem-estar, aumenta a imunidade do corpo, sua família e seus amigos agradecem. O bate-papo que costumo ter com as pessoas, costuma ser sobre fofoca, tragédia nos noticiários, ou são temas inspiradores, palavras de conforto e atenção por onde passo? Pequenas atitudes, quando transformadas em hábito, trazem grandes resultados ao longo do tempo.

Vivemos numa Era de grandes mudanças, e a mudança começa abandonando o que já não serve mais, organizando a vida dando espaço para pensamentos, sentimentos e atitudes que contribuam por um mundo de mais Amor, aprendendo a Amar a si mesmo primeiro, porque só conseguimos doar aquilo que já possuímos em abundância.

Cuidar do corpo é cuidar do físico, da mente e da alma! Além de academia e nutrição, a gente precisa de gente que pensa bem, gente que também sente bem, gente que exerce o Bem!

Grande abraço, e viva a nossa casa, o Nosso Lar!

Yumi Hada