Um fato muito comum que acontece quando estamos a uma distância considerável de alguém e queremos chamar a atenção dessa pessoa, ou precisamos que ela nos ouça, aumentarmos o tom de voz para que a pessoa nos ouça. Ou devido a distância ou por motivos de ruídos que há no ambiente.

Outra coisa que pode acontecer é alguém “gritar” por razões que tanto podem ser de alegria ou de dor.

Quando estamos alegres e queremos extravazar acabamos por aumentar o nosso tom de voz para exteriorizar toda aquela energia, aquele sentimento bom que estamos sentindo naquele momento e isso é tão bom que queremos que todas as pessoas até mesmo as mais distantes saibam que estamos felizes. Isso é muito revigorante, e quando essa energia é positiva e transmite alegria, faz realmente com que todos que a sinta se revigorem e sintam-se felizes também!

Já o contrário também pode acontecer. Quando a pessoa está com “dores” pelo corpo, ela num instinto de sobrevivência e necessidade de ajuda, grita para alarmar as pessoas ao redor que ela precisa de ajuda.

Outro fato muito comum que podemos constatar é estarmos sentados por exemplo em nossa casa e ao ouvirmos alguém gritando, esbravejando do lado de fora de casa, pararmos o que estamos fazendo, abaixarmos o som da televisão, arregalarmos os olhos e ficarmos prestando atenção aos gritos que vem da rua. Ou se estamos sentados na condução concentrados em nossos pensamentos e ouvimos alguém falar um pouco mais alto, já ficarmos atentos ao que está acontecendo e aguardarmos os próximos gritos.

Isso acontece porque nosso “alarme de atenção” dispara sempre que alguma coisa está fora da normalidade daquele ambiente. Uma voz mais alta, um grito, quase sempre é sinal de discussão, é sinal de descontentamento, sinal de briga. Por isso nosso “alarme de atenção” dispara querendo nos informar que há algo de errado acontecendo por alí e podemos estar em perigo.

Mas, e quando o “gritar” vem daquele tipo de grito que acontece quando as pessoas estão discutindo ou mesmo brigando umas com as outras, por que isso acontece?

Segundo a Lei Universal, Todos Somos um Só Ser, somos todos ligados e interligados através de nossos campos energéticos, pensamentos e sentimentos mais profundos. Uma simples maneira que podemos exemplificar aqui é quando assistimos a uma novela ou a um filme em que a personagem está sofrendo, está triste, nós nos entristecemos também. Ou quando a personagem sofre algum acidente, como por exemplo corta o dedo, nós sentimos como se aquela situação tivesse acontecido com a gente.

Esta ligação que temos um com o outro se torna ainda mais forte e presente quando se trata de pessoas de nosso convívio que queremos bem, que amamos, que nos sentimos bem, livres, confortáveis ao lado delas. Isso nos leva muitas vezes a até nem chegarmos a falar nada e a outra pessoa saber o que estamos pensando, ou algumas vezes só de olhar para o outro podemos compreender exatamente o que está se passando com ele, não é mesmo?

E então, se somos todos tão ligados, unidos e próximos um do outro não há a necessidade de “gritos”. Esse tipo de manifestações acontecem geralmente em brigas ou discussões. Mesmo as pessoas estando a menos de um palmo de distância uma da outra elas insistem em gritar, esbravejar, falar mais alto que a outra, querendo demostrar e impor sua força, seu poder, sua superioridade sobre a outra.

Quando isto acontece está demonstrando muito claramente o quanto elas estão desconectadas uma da outra. O quanto a alma de um está distante da alma do outro.

Quanto mais “gritos” e demonstração de poder existir em um relacionamento entre as pessoas, mais suas almas de distanciam e mais tristes se tornam, pois a mesma distância que afasta pode ser capaz de romper um relacionamento.

Em essência o ser humano é um ser social, é ter um certo grau de convívio com o todo e conviver em harmonia com o todo. Quando o ser humano se afasta do convívio com o outro ele não está permitindo que esta etapa de seu desenvolvimento como ser humano seja realizada e completada.

Estamos vivendo uma Era de reconexão com o todo. Para isso está sendo necessário que cada ser humano tome consciência de si mesmo, de seu real valor, de seu real poder e força sobre sua própria vida. A Vida está pedindo isso a cada um de nós. E o valor, o poder e força pessoal, nasce primeiramente dentro de si mesmo, e precisa ser expressado em forma de amor, gratidão e união com o todo.

É tempo de união de almas em prol de um objetivo comum que é fazer o Bem!

E lembre-se de clicar no botão “curtir” se você gostou deste artigo! Una-se a nós e vamos juntos unir mais almas em prol do Bem na humanidade.

Minha eterna gratidão e bençãos de luz.
Paulo Oliveira

Comentários