Quando um ano termina geralmente fazemos uma retrospectiva de tudo que foi vivido relembrando conquistas, fracassos, momentos de alegria, de dificuldades, entre outras lembranças.
A partir daí iniciamos um balanço daquilo que foi ruim, do que foi bom e do que ainda não foi conquistado para traçar um plano de realizações para o ano novo.
Sabemos que uma atitude mental positiva é essencial para alcançarmos nossas metas com mais facilidade. Mas além de muita energia positiva, amor no coração, força de vontade e foco no objetivo, é importante que comecemos a deixar para trás tudo aquilo que não nos serve mais e abrir espaço para o novo.
Abrir os armários e separar para doação aquelas roupas, sapatos e todos aqueles objetos que estão guardados há anos sem uso é um ótimo começo!
Esvaziar e limpar para poder redecorar.
Mas além de armários há muito espaço em nosso interior que precisa de uma limpeza, de reorganização, de inovação. Em se tratando desse tipo de espaço nem sempre é fácil desapegar de certas coisas. Às vezes nem enxergamos o que deve ser descartado.
Mas isso não é problema para quem está disposto a encarar as mudanças!
Façamos a faxina aos poucos.
Não é preciso elaborar um plano radical. Pequenas atitudes farão a diferença na construção dos seus ideais.
Uma sugestão é começar um plano de pesquisa sobre você mesmo pois só assim será possível estabelecer mudanças! Parece simples mas para colocar esse plano em prática será preciso um pouco de dedicação pois dificilmente temos tempo para parar e nos observar.
Um exemplo para investigação: você acorda todo dia cansado e passa dias, semanas, meses cansado sem entender o porquê sente tanta indisposição.
Comece questionando possíveis causas para o que está te incomodando e implantando pequenas mudanças:

  • “Será que estou dormindo pouco? Vou experimentar dormir mais horas para ver se me sinto melhor!”;
  • “Será que ando muito sedentário? Vou experimentar passear com meu cachorro meia hora por dia para ver se me sinto mais animado”;
  • “Será que estou estressado? Vou dedicar uma hora do meu dia só para cuidar de mim!”

Esse processo de investigação e descoberta promove o autoconhecimento e fará com que seja possível avaliar aquilo que é importante para o seu equilíbrio e bem-estar assim como aquelas atitudes e comportamentos que devem ser substituídos ou revistos.

Não há fórmulas e nem modelos de vida a serem seguidos para conquistarmos mais qualidade de vida. Temos que construir criativamente os nossos moldes e as nossas estradas, saboreando todos os momentos da vida, deixando nascer os vários “outros” que existem em nós.

Para isso é preciso uma dose de ousadia e uma boa dose de desapego! Desapego de velhos conceitos, daquilo que achamos que somos ou que deveríamos ser. Que possamos simplesmente ser e estar presentes com alma, com tudo e com todos, abrindo as portas para o encontro do velho com o novo. Certamente, a partir desse encontro, uma nova vista se apresentará a nossa frente e acenderá a chama da vontade de viver profundamente todos os dias das nossas vidas.

Sejamos muito felizes!

Karol Peixoto