Olá Seres de Luz !

No decorrer desta semana, lembrei-me de um capítulo de um Livro o qual aborda o que é a prece e algumas formas de se conversar com o Pai Universal, achei muito lindo e gostaria de compartilhar com vocês alguns trechos:

“A prece é uma expressão inteiramente pessoal e espontânea da atitude da alma com o espírito; a prece deveria ser a comunhão da filiação e a expressão da fraternidade. A prece, quando ditada pelo espírito, conduz ao progresso espiritual cooperador. A prece ideal é uma forma de comunhão espiritual, que conduz à adoração inteligente. A verdadeira oração é uma forma sincera de estender a mão na direção do céu para alcançar os vossos ideais”.

“A prece é o respirar da alma e deveria levar-vos à persistência na tentativa de melhor conhecerdes sobre a vontade do Pai. Se, dentre vós, houver um que tenha um vizinho e se este for a ele à meia-noite e disser: ‘Amigo, empresta-me três pães, pois um amigo chegou de viagem para ver-me e nada eu tenho para oferecer-lhe’; e se o vizinho responder: ‘Não me incomodes, pois a porta agora está fechada, as crianças e eu estamos na cama, e eu não posso levantar-me e dar-te pão’; ele persistirá, explicando-lhe que o amigo tem fome e que ele não tem nenhuma comida para oferecer. Eu vos digo, embora o vizinho não vá se levantar para dar-lhe o pão, só porque é um amigo; mas que, em vista do inoportuníssimo, ele poderá acabar levantando-se e dando-lhe tantos pães quantos forem necessários. E então, se a persistência consegue favores até do homem mortal, quão mais a vossa persistência conseguirá, em espírito, do pão da vida, das mãos dispostas do Pai nos céus. E, de novo, vos digo: Pedi e vos será dado; buscai e encontrareis; batei e a porta abrir-se-á para vós. Pois todos aqueles que pedem, recebem; e aquele que busca, encontra; e, para quem bate, a porta da salvação será aberta”.

A prece eficiente deve ser:

  1. Não-egoísta — não apenas para si próprio.
  2. Crente — de acordo com a fé.
  3. Sincera — honesta de coração.
  4. Inteligente — de acordo com a luz.
  5. Confiante — em submissão à vontade totalmente sábia do Pai.

Outras Formas de Prece 

Pai nosso, em Quem consistem todos os reinos do universo,

Que o Teu nome seja exaltado e Todo-glorioso seja o Teu caráter.

A Tua presença nos engloba, e a Tua glória manifesta-se

De modo imperfeito, por nosso intermédio, mas, no alto, é mostrada em perfeição. Conceda-nos, neste dia, as forças vivificadoras da luz,

E não nos deixes errar pelos desvios malignos da nossa imaginação,

Pois Teu é o Residente glorioso, o poder eterno,

E nossa é a dádiva eterna do amor infinito do Teu Filho.

Assim seja, na verdade eterna.

*** 

Pai nosso criador, que estás no centro do universo,

Outorga a nós a Tua natureza e dá-nos o Teu caráter.

Faz de nós os Teus filhos e filhas, por meio da graça,

Que o Teu nome seja glorificado por meio da nossa eterna realização.

Dá o Teu espírito Ajustador e controlador, para viver e residir dentro de nós. E que possamos fazer a Tua vontade nesta esfera, como os anjos cumprem os Teus comandos na luz.

Sustenta-nos neste dia, no nosso progresso dentro do caminho da verdade.

Livra-nos da inércia, do mal e de todas as transgressões pecaminosas.

Sê paciente conosco, assim como nós mostramos bondade e amor aos nossos semelhantes.

Derrama o espírito da Tua misericórdia nos nossos corações de criaturas.

Conduze-nos pela Tua própria mão, passo a passo, nos labirintos incertos da vida, E, quando vier o nosso fim, recebe os nossos espíritos fiéis no Teu próprio seio.

E que seja assim feito o Teu desejo, não o nosso. 

*** 

Pai nosso celeste, perfeito e reto,

Guia e dirige a nossa jornada deste dia.

Santifica os nossos passos e coordena os nossos pensamentos.

Conduze-nos sempre nos caminhos do progresso eterno.

Sacia-nos de sabedoria, à plenitude do poder,

Revitalizando-nos com a Tua energia infinita.

Inspira-nos com a consciência divina

Da presença e da orientação das hostes seráficas.

Guia-nos sempre para cima, na senda da luz;

Inocenta-nos plenamente no dia do grande julgamento.

Faze-nos à Tua semelhança, na glória eterna

E recebe-nos, no alto, para o Teu serviço perpétuo. 

*** 

Pai nosso, que Te manténs em mistério,

Revela-nos o Teu caráter santo.

Faz, neste dia, com que os Teus filhos na Terra

Vejam o caminho, a luz e a verdade.

Mostra-nos a direção do progresso eterno

dá-nos vontade para caminhar dentro dele.

Estabelece, dentro de nós, a Tua soberania divina

E concede-nos o domínio pleno do ego.

Não nos deixe enveredar pelos caminhos das trevas e da morte;

Conduze-nos eternamente nas águas da vida.

Ouve esta nossa prece, por amor da Tua própria causa;

Contenta-te em fazer-nos cada vez mais semelhantes a Ti.

E afinal, pelo Filho divino, Nos receba em Teus braços eternos.

E assim, seja feita a Tua vontade, não a nossa. 

*** 

Glorioso Pai e gloriosa Mãe, unificados em um Progenitor único,

Gostaríamos de ser leais à Vossa natureza divina.

Que viva de novo em nós a vossa Pessoa

Por meio do dom e da dádiva do Vosso espírito divino,

Que, nesta esfera e em nós, só imperfeitamente imita a Vós,

Tal como Vos mostrais em perfeição e em majestade, no alto.

A cada dia, dai-nos a Vossa doce ministração de fraternidade

E conduzi-nos, todo momento, na direção do serviço ao amor.

Sede sempre e firmemente paciente conosco

Assim como nós somos pacientes com os nossos filhos.

Dai-nos a sabedoria divina de fazer bem todas as coisas,

Dai-nos o amor infinito, que é a graça de toda a criatura.

E concedei-nos a Vossa paciência e a Vossa bondade amorosa

Que a nossa caridade possa envolver os fracos deste reino.

E, quando a nossa carreira acabar, fazei dela uma honra ao Vosso nome,

Um prazer para o Vosso espírito de bondade, e uma satisfação Para aqueles que ajudam a nossa alma, não como desejamos nós, nosso Pai de amor, mas assim como Vós desejardes, para o eterno bem dos vossos filhos mortais, Que assim possa ser. 

*** 

Ó Fonte nossa Todo-fiel e Centro nosso Todo-Poderoso,

Reverenciado e santo seja o nome do vosso Filho tão cheio de graça.

As Vossas bondades e as Vossas bênçãos têm descido sobre nós,

Dando-nos poder para fazer a Vossa vontade e para executar a Vossa ordem.

Dai-nos, a cada momento, a sustentação da árvore da vida;

A cada dia, refrescai-nos, com as águas da vida do Vosso rio.

A cada passo, conduzi-nos para fora das trevas e para a luz divina.

Renovai as nossas mentes, por meio das transformações do espírito residente,

E, quando o fim mortal finalmente vier sobre nós,

Recebei-nos junto a Vós e enviai-nos à eternidade.

Coroai-nos com os atributos celestes do serviço fecundo,

E nós glorificaremos o Pai, o Filho e a Santa Influência.

E que assim seja, em um universo sem fim. 

*** 

Pai nosso que habitas em locais secretos do universo,

Honrado seja o Teu nome, reverenciada seja a Tua misericórdia e

respeitado seja o Teu julgamento. Que o sol da retidão brilhe sobre nós ao meio-dia, Enquanto nós Te suplicamos que guies os nossos passos incertos sob o crepúsculo. Conduze-nos com a Tua mão, nos caminhos da Tua escolha

E, quando o caminho for duro e as horas forem de trevas, não nos abandones.

Não nos esqueças, assim como nós muitas vezes Te esquecemos e Te negligenciamos.        Mas sê misericordioso e ama-nos como nós Te desejamos amar.

Do alto, olha-nos com bondade e perdoa-nos com misericórdia

Como nós perdoamos, com justiça, àqueles que nos magoam e que nos ofendem.

E possam o amor, a devoção e o dom do Filho excelso

Tornar disponível a vida eterna, com a Tua misericórdia sem fim e com o Teu amor. Que o Deus dos universos possa conceder-nos a medida plena do Seu espírito; Dá-nos a graça de submeter-nos à condução desse espírito.

Pela ministração de amor das Tuas devotadas hostes seráficas

Que possa o Filho guiar-nos até o fim da idade.

Faze-nos sempre, e cada vez mais, semelhantes a Ti

E, quando do nosso fim, recebe-nos no abraço eterno do Paraíso.

Assim seja, em nome do Filho a nós enviado

E para a honra e glória de Ti, Pai Supremo.

 

Paz Profunda a Todos.

Eu Sou o Manú.

 

Referência: O Livro de Urântia –  Documento 144.

http://www.urantia.org/pt/o-livro-de-urantia/documento-144-em-gilboa-e-na-decapolis