É natural que pensemos em algum tipo de ajuda quando temos um problema que parece ser muito difícil de resolver.

Nesses momentos, quem já não pensou em compartilhar o que sentia ou teve vontade de pedir um conselho para um amigo, para um familiar ou para uma pessoa próxima?

A busca por uma luz que clareie nossos pensamentos nos leva a pensar numa solução urgente para alívio das nossas angústias.

E quando a resposta não vem com facilidade a partir de nossas reflexões individuais, contar com o apoio de quem está de fora da situação pode ser um meio de “sossegar o coração”, encontrar recursos para solucionar esses problemas ou até adquirir um pouco de coragem para tomar uma iniciativa.

Pensando em ajudar a quem se encontra nessa situação, relacionamos algumas vantagens e desvantagens sobre aceitar um conselho.


Vantagens

  • Ampliar a visão do problema

Quando estamos envolvidos em uma situação difícil, geralmente tendemos a enxerga-la por um único ângulo e, não aceitando esse modo de ver e resolver a questão, acabamos nos enrolando nos pensamentos, dando voltas e voltas e retornando sempre ao mesmo ponto.

Ao ouvirmos uma outra opinião, podemos ter a oportunidade de enxergar um outro lado da moeda, o que nos permitirá avaliar com mais clareza os prós e contras para então decidir o que fazer.

  • Aprender a articular as dificuldades de um modo diferente

Cada pessoa tem um jeito de ser e de fazer as coisas. Nesse sentido, quando

aceitamos um conselho, podemos aprender meios diferentes de resolver um problema, repensando atitudes, gestos, palavras, maneiras de se expressar etc. Algumas dicas práticas podem fazer toda a diferença para nos ajudar a sair de um conflito, como por exemplo: avaliar o melhor momento para se falar, suavizar ou potencializar o tom de voz para dar mais sentido a mensagem que desejamos passar,  pensar em lugar ou em um momento mais propício para abordar um assunto, organizar mentalmente os pontos que precisamos acertar.

Às vezes só precisamos nos permitir aprender com a experiência e com o jeito do outro para perceber que nem tudo é tão difícil quanto nos parece ser.

  • Aliviar as tensões

Quando encontramos uma pessoa que nos ouve com uma postura de acolhimento, certamente nos sentiremos bem para falarmos sobre o que estamos vivenciando, ainda mais se o conselheiro for o tipo de pessoa que respeita nossas características, qualidades e defeitos, se importa com o nosso bem-estar e acima de tudo aceita as nossas escolhas e maneiras de pensar.

O conselho dado com a intenção de acolher e apoiar, é sempre bem-vindo.

Quando recebemos esse tipo de atenção ficamos mais calmos e serenos e, assim, conseguimos pensar melhor.

  • Saber que não somos os únicos a passar por certo desafio é consolador

Os conselhos geralmente refletem um pouco da história de vida de cada pessoa. E conhecendo um pouco de algumas histórias podemos perceber que não somos os únicos a passar por certa dificuldade e nos sentirmos confortados ao saber que existe alguém que nos entende, que já sentiu o que estamos sentindo em uma experiência semelhante.

É bom saber que essas pessoas estão bem!

Isso pode nos servir de incentivo para acreditarmos que dias melhores virão e que todo problema um dia passa e a paz sempre retorna.


Desvantagens

  • Você pode ficar pior do que está

Há pessoas que gostam tanto da gente que tomam as nossas dores como se fossem delas próprias.

Ficam indignadas ao perceberem o nosso sofrimento, esbravejam, se emocionam, quase se colocam a disposição para resolverem os problemas por nós e por fim, acabam se desequilibrando e entrando exatamente na mesma sintonia da nossa confusão mental/emocional.

Quando isso acontece, corremos o risco de ver as nossas dúvidas aumentarem de tamanho e ficarmos ainda mais aflitos.

Por isso, devemos pensar bem para quem vamos pedir um conselho.

  • Ninguém dará tanto valor a sua vida quanto você mesmo

É importante lembrar disso para nunca desvalorizarmos a nossa opinião pessoal dando mais poder a outros do que a nossa própria intuição.

Muitos querem ajudar, mas nem sempre se colocam em nosso lugar, nem sempre se importam com o que sentimos e com o que desejamos verdadeiramente para nossas vidas. Aconselham querendo palpitar, às vezes até dizendo o que gostariam de fazer, quando na verdade estão camuflando suas próprias deficiências em um falso discurso.

Então, não devemos nunca subestimar o nosso poder de decisão. Nosso coração é o nosso maior guia. Se ele estiver em paz, possivelmente estaremos no caminho certo.

  • Medos e inseguranças particulares estão embutidos em um conselho

Os conselhos muitas vezes são repletos de alertas e orientações que refletem os medos e inseguranças daqueles que os sugerem.

Por isso, devemos disciplinar a nossa escuta e nossas percepções para separarmos o que é bom para nós daquilo poderá aumentar os nossos receios e até nos paralisar ainda mais.

Fiquemos atentos com os conceitos de certo e errado, bom e ruim, apropriado e inapropriado pois essas referências são sempre relativas e variam de acordo com o contexto de cada situação. Geralmente são associações feitas de modo diferenciado por cada pessoa, de acordo com sua experiência de vida.

É importante sempre questionar e nunca simplesmente aceitar.

  • Somos singulares embora tão semelhantes

Devemos respeitar o nosso tempo individual para resolver os impasses. Não estamos em uma prova com hora marcada para ser concluída. O tempo é relativo e precisamos lidar com ele com sabedoria.

Paciência é fundamental para encontrarmos as saídas necessárias.

Algumas respostas só aparecem quando adquirimos mais conhecimento para compreendê-las e não importa se nos dizem que estamos no caminho certou ou errado ou que estamos perdendo tempo pensando demais ao invés de agir.

O que importa é sabermos o que estamos fazendo e o porquê tomamos determinadas decisões.

Sendo assim, seja qual for o conselho recebido, precisaremos nos responsabilizar pelos nossos atos e pelas consequências resultantes dos mesmos.

Tenhamos cautela com nossas escolhas.

Nossa vida é única. Nosso caminho é precioso demais e merece toda a nossa atenção e dedicação.

Somos maravilhosas centelhas de luz e sabedoria. Logo, não há porque nos deixarmos levar pelos medos e inseguranças pois tudo nos conduz para a luz de onde viemos e para o crescimento infinito.

Sejam quais forem as nossas decisões, se agirmos com amor e com o coração leve o resultado será sempre positivo e produtivo.

 

Sejamos felizes!

Um abraço carinhoso.

E se gostou desse artigo, curta, compartilhe, comente!

Karol Peixoto