Fala-se muito nos dias de hoje em crenças limitantes, que são crenças que surgem em uma determinada fase de nossa vida por coisas que ouvimos ou situações que vivenciamos, por influências de terceiros, etc. e que muitas vezes não conseguimos identificar ao certo quando e em que situação isso ocorreu.

Crenças limitantes nos impedem de acreditar que podemos mais do que imaginamos e nos impedem muitas vezes até mesmo de acreditar que queremos ir além do que podemos imaginar.

Quando fazemos uma análise, identificamos e acreditamos que dentro de nós existem crenças limitantes, isso já é uma crença. E isso já é limitante.

Desde muito pequenos ouvimos de nossos pais o que podemos fazer, o que não podemos fazer, até onde podemos ir, etc. Muito se fala também que para a boa educação da criança é necessário que ela conheça alguns limites.
Desde pequenos fomos educados com limites impostos primeiramente por nossos pais, depois por parentes, por amizades, pela sociedade e assim foi. E isso formou nossas crenças e construiu nosso caráter.

Esse é o lado negativo da crença, e que agora depois de “crescidos” precisamos nos libertar de algumas delas que podem estar nos impedindo de alcançar alguns objetivos, sonhos ou ideais.

Porém, neste artigo escolhi tratar do lado positivo da crença.

Crença é necessário à nossa vida. Crença é o que nos mantem firmes em nosso propósito, é o que nos move. Crença é o que norteia nosso caráter. Crer, acreditar em algo, em alguém, em alguma coisa é importantíssimo e saudável. Além de nos levar até onde queremos chegar quando colocamos um objetivo em nossa vida.

Vamos falar um pouco sobre elas e tentar identificar “quem elas são” e que posição elas tem em nossas vidas.

Vamos partir da ideia de que tudo é crença. E é. Se acredito que posso, eu posso. Se acredito que consigo, eu consigo. Se acredito que estou certo, estou certo. Isso porque a minha concepção de que posso ou não posso, consigo ou não consigo, certo ou errado está de acordo com as minhas crenças e que podem ser, e são, diferentes das crenças do outro. Tudo depende da ideia original que tenho de crença e em que posição eu a coloco em minha vida. Se eu a coloco a meu favor ou contra mim.

Ao fazer a análise de suas crenças é importante identificar e saber exatamente quais são e onde estão em sua vida. E após identificar saber o que fazer com elas.

Se elas expressam “o seu eu verdadeiro”, “o seu valor como ser humano”, “o seu caráter” elas precisam estar à frente, ou seja, vir sempre em primeiro lugar e permear sua vida. Ser a base, a essência do seu “eu”. E isso é essencial e positivo. Se elas expressam “o seu ego” preste muita atenção onde a está posicionando em sua vida.

Creia sempre. Acredite sempre. O ser humano é um ser ilimitado. Se assim “crer” assim será, e as crenças limitantes que outrora pareciam existir, não passarão apenas de crenças que te limitavam a crer que você é um ser maior, um ser ilimitado. Não há limites para o ser humano que crê!

Fique a vontade para compartilhar, comentar em nossos artigos.

Gratidão!

Paulo Oliveira

Comentários

5 COMENTÁRIOS